20 de fev de 2017

Um velho de 25 anos (Geração Mesclada) - Por Anderson Calandrini

Por várias vezes meus amigos me chamavam de um velho de 15/17/20/25 anos, dependendo do período de minha vida. Tudo por conta dos meus gostos peculiares, mesmo ninguém senti o dissabor.

Quando alguns assistiam Naruto, eu ainda me prendia com Shurato e Super Campeões. Enquanto eles descobriam os shinigamis de Bleach eu assistia o poderoso chefão, psicose e Grease no Tempo da Brilhantina. 

Por conta desse meu gosto peculiar sempre tive poucos assuntos em relação a cultura pop consumida entre os jovens de minha geração. O que me deu, de certa forma, conhecimento para tentar me sentir um pouco mais adulto em meio aos conhecidos mais velhos, e naquela mesa contar histórias, que hoje na memória eu guardo e sei de cor.

Na música não era diferente, enquanto minha geração curtia Fresno, Restart, Gloria e outros, eu me perdia no primeiro CD do Legião Urbana, em Jimmy Hendrix, Johnny Cash e The Mamas & the Papas atrás dos meus California Dreams.

Nas séries ainda me prendo em outros clássicos, não tão velhos mas de minha geração como The OC, The One Tree Hill, SmallVille, ainda longe de algumas novidadedes 'netflixeiras'

Ai você pergunta isso é bom? Eu respondo, não, pois perdido nesse caminho sem gerações, não vive os anos 60/70/80, mesmo consumindo os que eles curtiram na época, por razões de natalidade, e não vive a realidade da minha geração.

Então vivo sendo um Jovem de 40 anos, ou um velho de 25. Não perdido, mas criando a minha própria geração mesclada, já que o sol não pode viver perto da lua.



Nenhum comentário:

Postar um comentário